O governo federal aceitou as desculpas do secretário-geral da Fifa, Jerôme Valcke, que sugeriu na semana passada um “chute no traseiro” do Brasil para acelerar os preparativos para a Copa do Mundo de 2014. Ficou ainda de ser agendada uma reunião entre o presidente da entidade, Joseph Blatter, e a presidente Dilma Rousseff. O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, enviou nesta quinta-feira uma carta a Valcke e outra a Blatter tratando deste tema.

O “perdão” foi concedido depois que Valcke se retratou. Ele culpou a tradução de uma frase em francês para português, mas a entrevista que iniciou a polêmica foi proferida em inglês. O ministro do Esporte chegou a pedir à Fifa a troca do interlocutor nas negociações, mas nesta quinta recuou diante do pedido de desculpas.

Em uma resposta com apenas duas linhas, Aldo Rebelo comunicou a decisão. “Em atenção à sua correspondência do dia 5 de março de 2012, comunico a Vossa Senhoria, em nome do governo brasileiro, que suas desculpas foram aceitas”, disse a íntegra da carta a Valcke. No documento enviado a Blatter, o ministro reafirma o aceite ao pedido de desculpas, mas faz uma cobrança. “Reafirmo a posição do governo brasileiro de que episódios como este não podem mais se repetir, em prol da boa preparação da Copa do Mundo do Brasil”.

O ministro responde ainda a um pedido de audiência com Dilma feito pelo presidente da Fifa. Blatter sugeriu o encontro na semana que vem. Aldo afirma que a audiência será marcada pelo cerimonial de Dilma Rousseff.