Os advogados de Lance Armstrong, que no mês passado confessou ter usado doping de forma continuada em seu carreira e teve todos os seus títulos cassados, confirmaram que o ex-ciclista está sendo processado pelo Departamento de Justiça do governo dos Estados Unidos. A ação movida contra o atleta que se dopou para ganhar sete vezes a Volta da França alega que ele escondeu a utilização de substâncias dopantes por mais de uma década e acabou enganando a US Postal Service, equipe pela qual correu entre 1998 e 2004 e era patrocinada pelo serviço de correio dos Estados Unidos.

O Departamento de Justiça norte-americano resolveu processar Armstrong depois de o ex-ciclista Floyd Landis ter movido, em 2010, uma ação contra seu ex-companheiro de US Postal Service. Baseado na lei federal de declarações falsas, que permite a qualquer cidadão dos Estados Unidos processar uma outra pessoa, em nome do governo, caso considere que a mesma enganou o País, ele disse que Armstrong se dopava quando era membro do time patrocinado pelo serviço de correio nacional.

Landis, por sua vez, teve o seu título de 2006 da Volta da França, a mais importante prova do ciclismo mundial, cassado também por uso de doping.

Um advogado de Armstrong, Robert Luskin, afirmou nesta sexta-feira que as negociações do ex-ciclista com o governo em relação a este assunto fracassaram porque não houve consenso das partes de que a US Postal Service foi realmente prejudicada.

“Os próprios estudos da Postal Service mostraram que o serviço (de correios) lucrou tremendamente com o patrocínio, com benefícios que totalizam mais de US$ 100 milhões”, afirmou Luskin ao defender o seu cliente.

O processo aberto por Landis contra Armstrong havia sido encerrado, mas será reaberto como parte importante da ação movida pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos, que espera agora poder recuperar os milhões que foram investidos no ex-ciclista.