O goleiro titular da seleção olímpica espanhola, David de Gea, lamentou nesta segunda-feira a eliminação da sua equipe dos Jogos Olímpicos de Londres, mas acredita que isso ocorreu porque “o destino quis que a bola não entrasse”.

“Tivemos muitas oportunidades, jogamos uma grande partida, todo o mundo viu e não há mais nada a dizer. Tivemos chances de sobra, mas o destino quis que a bola não entrasse e estamos eliminados”, disse em entrevista coletiva no estádio Old Trafford o goleiro do Manchester United.

De Gea, no entanto, lembrou que “ainda falta um jogo” e que os jogadores espanhóis têm que “ser profissionais e terminar a competição com uma vitória”.

O goleiro madrilenho também explicou o comportamento dos jogadores comandados por Luis Milla, que reclamaram muito da arbitragem. “São momentos nos quais não dá tempo para pensar, é o que acontece quando se está com a cabeça quente”.

“Aconteceu assim e não há muito que falar, mas está claro que deve-se respeitar sempre os árbitros. Foi um momento em que nos revoltamos pois não foram assinalados dois pênaltis muito claros”, finalizou.

De Gea lamenta chegar já eliminado a seu habitual campo de jogo, mas assumiu que isso faz parte do esporte e que a única solução é superar o acontecido. “Se tivéssemos vencido, claro que estaríamos mais contentes, mas vamos com a mesma vontade de ganhar a partida e os torcedores vão nos encorajar da mesma forma. Temos que assimilar a eliminação e olhar para frente”, afirmou.