O técnico Tive viu algumas semelhanças entre a estreia do Corinthians na Libertadores neste ano e a participação do time em 2012, quando conquistou seu primeiro título sul-americano. Na opinião do treinador, a vitória sobre o Cobresal, em El Salvador, no Chile, foi tão difícil como a estreia diante do Deportivo Táchira, na Venezuela.

Em 2012, o time também teve dificuldades com o planejamento logístico para chegar até a cidade de San Cristobal. Diante do Deportivo Táchira, rival considerado inferior tecnicamente, mesma situação do Cobresal, o Corinthians enfrentou muitas dificuldades. O Corinthians perdia por 1 a 0 até o último minuto de jogo, quando o volante Ralf aproveitou uma cobrança de falta e, de cabeça, empatou a partida. No Chile, na quarta-feira, a equipe brasileira conseguiu o triunfo aos 45 minutos do segundo tempo.

“Na Libertadores que vencemos, empatamos por 1 a 1 aos 47 do segundo tempo em um jogo extremamente difícil, e a partir daí fomos construindo etapas. Estamos num processo de construção da equipe. O resultado também gera confiança e tranquilidade”, explicou Tite após a vitória no Chile.

A vitória levou o Corinthians à liderança do Grupo 8 já que Cerro Porteño e Santa Fe, os outros rivais da chave, empataram sem gols na terça-feira. “Estreia é sempre complicada, ainda mais fora de casa. Importante é somar pontos e não perder. Se você continuar assim até o final, é campeão. É manter a regularidade. Naquele ano, o gol no fim do jogo nos deu moral e confiança. Espero que seja da mesma maneira agora”, disse o meia Danilo, titular na conquista de 2012.

O Corinthians volta a campo neste domingo, pelo Campeonato Paulista, contra a Ferroviária, na cidade de Araraquara.