A derrota por 3 x 0 para o Goiás, anteontem, fez o Atlético ganhar mais um adversário na luta por vaga no G4 do Campeonato Brasileiro. Aliás, o alviverde do Planalto Central é o quarto concorrente do Furacão na disputa que leva à Libertadores de 2014. Antes do Goiás, Corinthians, Internacional e Vitória tentaram desbancar o Rubro-Negro do grupo de elite. A ameaça não se concretizou. Hoje, somente o rubro-negro baiano, com 44 pontos, e ocupando a 7ª posição, ainda alimenta o sonho de chegar à Libertadores.

Além de dar um novo gás para o Goiás na reta final do Campeonato Brasileiro, o Atlético saiu da zona de conforto. Em caso de novo tropeço para o Bahia, domingo que vem, em Salvador, o Furacão pode ver a distância para o time goiano cair para dois pontos – desde que o Goiás vença o Náutico. Neste caso, esta seria a menor diferença do Rubro-Negro para a turma que tenta entrar no G4. A rodada mais recente em que o Furacão esteve próximo de deixar a área de classificação para a Libertadores foi ao final da 21.ª, quando perdeu para o Cruzeiro por 1 x 0, em Belo Horizonte. na ocasião, ficou a apenas um ponto na frente do Internacional.

Depois daquele tropeço, a sequência de bons resultados deixou o time atleticano soberano e cada vez mais enraizado no G4. Neste período, a maior diferença do Rubro-Negro para o quinto colocado (Vitória) foi de oito pontos. Aconteceu nas rodadas 27, 28 e 29. Antes, o time atleticano manteve a distância variando entre quatro e sete pontos para o primeiro time fora da área de acesso à Libertadores.

Mesmo com a boa vantagem que tem para o Goiás, os próximos cinco jogos definem o futuro do time atleticano no Brasileirão. O problema é que o Furacão terá minimizado o fator casa. Os confrontos contra Bahia, Internacional, São Paulo, Criciúma e Botafogo serão realizados longe de Curitiba – Internacional e São paulo, por causa da pena imposta pelo STJD, na sexta-feir passada. Assim, o Furacão voltará a sentir o gosto de jogar ao lado de seu torcedor apenas na antepenúltima rodada. Será no final do mês que vem, diante do Náutico, que está virtualmente rebaixado para a Série B do ano que vem.