Assim como já tinha feito logo depois do jogo em Porto Alegre, o presidente do Corinthians, Mário Gobbi, voltou a criticar na tarde desta quinta-feira, durante o desembarque da delegação em São Paulo, o pênalti batido por Alexandre Pato. O atacante fez a última cobrança na decisão com o Grêmio e chutou muito fraco, no meio do gol, facilitando a defesa do goleiro Dida, o que provocou a eliminação corintiana nas quartas de final da Copa do Brasil.

“Vários perderam (pênalti), não foi só ele (Danilo e Edenilson também erraram as cobranças na noite de quarta-feira). Agora, a forma que ele bateu é outra história. Não foi bom, tanto que não deu certo”, disse Gobbi, em rápida entrevista no desembarque no aeroporto de Congonhas, ao comentar sobre o lance decisivo desperdiçado por Pato na Arena Grêmio.

Ainda em Porto Alegre, o presidente ficou bastante irritado com a eliminação do Corinthians. Após o jogo, ele prometeu cobrar os jogadores, que, na sua avaliação, estariam rendendo abaixo do esperado. Por isso mesmo, Gobbi disse ser “justa” a manifestação dos torcedores que foram ao aeroporto nesta quinta-feira para protestar contra o time.

“A manifestação é justa, é legal, desde que não tenha violência. É um direito quando a torcida não está feliz”, avaliou Gobbi, que tratou também de justificar a ausência de Pato na delegação que voltou para São Paulo. “Mesmo se o time vencesse, ele ficaria em Porto Alegre. Ele tinha compromisso com a família e precisava resolver uns papéis.”