Foto: Valquir Aureliano

Jovem meia deve entrar na vaga do experiente capitão Beto, que ainda se ressente da falta de ritmo de jogo.

O técnico Saulo de Freitas não pretende mexer na estrutura do time. Entende que somente a partir de uma seqüência de jogos o Paraná Clube atingirá o conjunto ideal para buscar uma das oito vagas à 2.ª fase do Campeonato Paranaense e, mais do que isso, colocar-se como um dos candidatos ao título. O Tricolor precisa de gols, mas o Tigre mantém um discurso de serenidade, acreditando na seqüência de treinos para atingir o ponto ideal. No entanto, uma mudança para o jogo contra o Cianorte, domingo, fora de casa, é provável.

O treinador poderá lançar o garoto Giuliano na vaga de Beto. Depois de marcar seu nome na história do clube como volante, o capitão foi escalado na função de meia-armador frente ao Toledo. Porém, sem ritmo de jogo – ele ficou fora dos gramados desde o final de setembro, por conta de um traumatismo craniano e fora de posição, Beto não rendeu o esperado. Com Giuliano, o Tricolor foi mais dinâmico, mais contundente.

Estratégia

Porém, Saulo não antecipou se poderia adotar uma estratégia tão ofensiva em se tratando de um jogo fora de casa. No entanto, a própria colocação do clube – um incômodo 13.º lugar – obriga o treinador a partir para o ataque, independente do local da partida. Não bastasse o distanciamento da dupla Atletiba, o Paraná precisa de pontos para não permitir a fuga das equipes do interior que hoje ocupam a zona de classificação para a 2.ª fase do estadual, que contará com apenas oito clubes.

Cianorte aposta na torcida

Com uma vitória de virada (3 a 1), na quarta-feira, o Cianorte reabilitou-se no Paranaense. Na rodada anterior, o time do técnico Cláudio Tencati havia sido goleado pelo Toledo (4 a 1). Com o resultado positivo, o Leão do Vale chegou aos 4 pontos e manteve a média de três gols nos jogos realizados em casa. De quebra, conta com um dos artilheiros da competição: Marquinhos, com 3 gols (ao lado de Thiaguinho, do Engenheiro Beltrão; Linha, do Iguaçu; e Rafael Akai, do Londrina).

O Cianorte aposta no apoio de sua torcida para garantir nova vitória frente ao Paraná. Os ingressos já estão à venda ao preço único de R$ 10 (sendo que estudantes e idosos têm direito ao meio-ingresso). Tencati comanda treinos hoje e amanhã, quando deve oficializar o time para a partida que pode colocar o time do interior entre os quatro melhores do campeonato.

Nem solta o verbo na Vila

Foto: Walter Alves

Sem citar nomes, xerifão detonou alguns jogadores come-e-dorme e mercenários, que seriam os responsáveis pelo rebaixamento no Brasileirão.

Bad boy, maluco, xerifão, líder e capitão. Ao longo de sua carreira, o zagueiro Nem já viveu as mais distintas facetas. Mas, uma característica não lhe pode ser negada: a autenticidade. Se alguns o rotulam de falastrão, pouco lhe importa. Nem, ao longo de sua carreira, marcou sempre por não ter ?papas na língua?. E, nesse início de temporada, não está sendo diferente. Mesmo sem a tarja de capitão, o zagueiro saiu em defesa do grupo. Garante que o elenco é qualificado e acredita na reação do Paraná Clube neste Campeonato Paranaense.

?Não há a mínima condição de se comparar o grupo atual com aquele que rebaixou o clube para a Série B?, disparou. ?No ano passado, tinha muito come-e-dorme por aqui?. Nem só evitou dar nomes aos bois, mas garantiu que não eram um ou dois jogadores com esse perfil. ?Tinha muita gente só pensando no dinheiro e nem aí para o clube. O resultado, foi a queda?. O zagueiro insinuou que nessa bronca, teria ido à vias de fato com pelo menos um jogador, no vestiário na Vila Capanema.

Indagado sobre a suposta briga, Nem também evitou citar nomes. ?Vocês viram alguém com olho roxo. Então ninguém se machucou?, disse o zagueiro. Uma situação que ele assegura não irá mais se repetir no clube. ?Não pelo nível de jogadores que temos atualmente. Esse é um grupo de guerreiros, que ainda vai mostrar seu valor nesse estadual?, analisou. O jogador preferiu não falar sobre o seu futuro ou sobre a Série B. Com contrato inicialmente apenas até o término do estadual, Nem tem como objetivo a conquista do título.

Caminho certo

Meta que não é abalada pelos atuais 22% de aproveitamento. ?O campeonato está só começando. Vamos buscar a vaga para a 2.ª fase e depois tudo muda?, frisou. Nem se irritou com indagações sobre a proximidade do Tricolor com a zona de rebaixamento. ?São só três rodadas e vocês estão pensando nisso? Sei que a cobrança é enorme, mas esses jogadores vão mudar essa história?, assegurou. ?Hoje, o Paraná tem um grupo que rala em campo. Com todos marcando, fica fácil jogar. Tanto que não fiz praticamente nada nesse jogo contra o Toledo?, admitiu.

Quanto aos erros da direção num passado recente, Nem foi taxativo. ?Isso já mudou. É só ver o nível das contratações feitas pela diretoria. O Paraná, podem escrever aí, está no caminho certo?, carimbou. Para o zagueiro, as oscilações vistas na última quarta-feira serão minimizadas gradualmente. ?Nenhum time troca seis jogadores e sai dando show. É uma transição que não ocorre da noite para o dia. Mas, nosso torcedor pode ficar tranqüilo, pois o Paraná de hoje é muito melhor que o do passado. Azar de quem não acreditar?, concluiu.