Por mais que o técnico Gilson Kleina tente fazer mistério, não abra os treinamentos e se diz esperançoso em contar com dois jogadores machucados – o meia Renato Cajá e o lateral-direito Nino Paraíba -, a Ponte Preta já está definida para enfrentar o Palmeiras, neste domingo, às 16 horas, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP), pelas semifinais do Campeonato Paulista.

Não há surpresas, tanto na escalação como também no esquema tático. A única mudança em relação ao time que eliminou o Santos, na última segunda-feira, é a volta do volante Fernando Bob. Ele estava suspenso com três cartões amarelos e volta no lugar do experiente Wendel, que está com seu condicionamento físico abaixo do restante do grupo.

“Quando o Kleina me perguntou se eu aguentava o jogo contra o Santos, eu disse que iria até quando desse. E fui até metade do segundo tempo”, revelou Wendel. Desta forma, o tripé de meio de campo vai continuar com três volantes: Fernando Bob, Jadson e Elton.

A defesa vai ter quatro jogadores, inclusive com laterais defensivos. Jeferson, pela direita, e Reynaldo, que é zagueiro, improvisado pelo lado esquerdo. No ataque, Lucca e Clayson pelas beiradas e fazendo o vai-e-vém, e William Pottker bem na frente para confirmar a fama de goleador. Ele é o artilheiro do time com oito gols, seguido por Lucca, com seis. Eles só ficam atrás de Gilberto, que marcou nove gols pelo São Paulo e lidera a artilharia do Paulistão.

Este reforço no sistema de marcação é tido como fundamental neste momento, tanto que, além de Wendel, o técnico vai ter outro volante como opção no banco de reservas: Matheus Jesus. Recuperado de uma pequena cirurgia na mão, ele voltou a treinar com uma proteção e está pronto para jogar. Jesus foi titular durante boa parte da competição.

TREINO FECHADO – Houve treino nesta sexta-feira no Centro de Treinamento do Jardim Eulina, em Campinas, mas fechado à imprensa. Um técnico-tático, além de jogadas ensaiadas com bola parada (escanteio e falta), além de cobranças de pênaltis. Tanto Renato Cajá como Nino Paraíba, ambos com lesões musculares, não treinaram, ficando apenas no departamento médico.

Gilson Kleina não falou com a imprensa e deixou a entrevista coletiva para este sábado após o treino marcado para o Moisés Lucarelli, a partir das 10h30, com portões abertos, inclusive, para a torcida. Será apenas um rachão. Mais um forte indicativo de que o time já está definido e pronto para largar na frente nestas semifinais.

Os ingressos continuam sendo vendidos. A procura foi pequena neste feriado, mas deve se intensificar neste sábado. Restam pouco mais de mil ingressos e há muitas reclamações com a ação de cambistas. A expectativa é para um público entre 15 e 17 mil torcedores, apesar da capacidade máxima do estádio ser de 19.221 torcedores. Há uma reserva técnica solicitada pela Polícia Militar por questão de segurança.