Faltando apenas duas etapas para o fim da Volta Ciclística do Estado de São Paulo, o argentino Jorge Giacinti (Memorial-Santos), segue líder da competição. Ontem, ele chegou no pelotão principal, mantendo a diferença de oito segundos para o seu compatriota, Matias Médici (Avaí/Florianópolis). A festa pelo vitória também ficou com os argentinos, com dobradinha de Eddie Cisneros e Raul Turano, da equipe Monti.

A etapa foi marcada por muitos ataques e a equipe Memorial teve de "trabalhar" muito para defender a liderança de Giacinti. "Todos atuaram muito bem. Nessa hora que é bom ter uma equipe forte, unida", comentou o bicampeão da Volta do Uruguai, que revela a estratégia para a etapa de hoje, que será disputada entre Ribeirão Preto e Campinas, num percurso de 214,8 km.

"Estamos confiantes, mas temos de ter cautela. Não podemos facilitar. Ainda temos uma etapa muito longa", destaca o ciclista de 30 anos de idade.

O técnico da Memorial, Cláudio Diegues, também evita o clima de "já ganhou" e passa aos seis atletas a dificuldade das duas últimas etapas. "Todo mundo virá para cima, mas contamos com uma boa estrutura. Todos estão conscientes do que têm de fazer", disse o treinador.

Desistência

O paranaense Luciano Pagliarini desistiu ontem de continuar disputando a Volta de São Paulo. Melhor ciclista brasileiro da atualidade, ele tem de viajar amanhã para a Itália, a fim de participar da apresentação oficial da equipe Liquigas/Bianchi para a temporada 2005, em Milão.

"Tenho esse compromisso importante, mas fiz questão de participar da Volta de São Paulo. Pude treinar, competir e rever amigos", disse Luciano.

Companheiro de equipe de Mario Cippolini, um dos maiores ciclistas italianos da história, Pagliarini espera brigar por vitórias nas principais competições européias desta temporada.