O Atlético jogou abaixo da crítica ontem em Paranavaí; tanto que para o zagueiro Rhodolfo foi a pior apresentação da equipe. Conforme Geninho, todos os setores estiveram mal.

“O adversário imprimia uma velocidade e nós outra, e a deles sempre superior à nossa. Demos espaço atrás. O meio-campo errou muitos passes e o ataque teve pouca mobilidade. Com a entrada do Julio dos Santos, no 2.º tempo, melhoramos um pouco. Demos vacilo na retaguarda e depois não adianta querer jogar tudo nos 10 minutos finais e fazer aquilo que deveria ter sido feito nos outros 80”, analisou.

Para o técnico, o sinal de alerta foi ligado diante das seguidas derrotas e, principalmente, pela má produção apresentada nas três últimas partidas. Mas ressaltou também que não é o momento de achar que tudo que foi feito até agora não presta e que o planejamento está errado.

“Tem que ter tranquilidade. Temos que voltar àquele rendimento. Então vamos trabalhar, conversar para saber o que está acontecendo para ter aquela postura e os resultados de quatro rodadas atrás”, afirmou Geninho.

A liderança folgada na tabela parece ter afetado negativamente a equipe atleticana e ter gerado certa acomodação. “Isso não deveria acontecer, mas pode ter ocorrido.

Deixamos escapar o ponto por duas oportunidades e agora criamos a obrigação de fazer ponto em casa. Isso não é bom. Você não pode livrar pontos na frente e relaxar.

O campeonato tem que estar focado o tempo todo. A equipe que acostuma a ganhar se torna vencedora. Se começa a perder, vira uma coisa normal e não podemos criar esse ambiente aqui”, finalizou.

Netinho concordou com o comandante e disse que a sequência de derrotas torna-se um fato preocupante desde que a equipe se acomode. “Não podemos acostumar a perder. Temos que voltar a ter alegria e conquistar os resultados. É isso que vai dar motivação para a equipe.” Já o capitão Antônio Carlos comentou que o Atlético é grande e tem que se impor. “O grupo é forte e queremos ser campeões”, sintetizou.