Os meias Giuliano e Éverton tiveram seus contratos renovados até julho de 2011. Com isso, o Paraná Clube assegura uma valorização significativa de suas maiores revelações. Especula-se que o aumento salarial dos meninos giraria em torno de 400%, o mesmo ocorrendo com as multas rescisórias de ambos. ?Contamos com os dois para a disputa dessa Série B. Agora, para tirá-los do clube, só pagando a multa?, disse Vavá Ribeiro, sem citar os valores dos novos contratos.

A negociação com os procuradores da dupla já se estendia por mais de dois meses. Éverton e Giuliano tinham contratos até o início de 2010, mas como seus salários estavam no nível de atletas recém-promovidos da base, as multas eram baixas para o mercado brasileiro. ?Estamos salvaguardando o nosso patrimônio. Fizemos um sacrifício significativo para segurá-los?, disse o vice de futebol.

Os meninos foram titulares ao longo do Paranaense e da Copa do Brasil e o técnico Bonamigo chegou a adaptar Éverton na ala-esquerda para não abrir mão de sua qualidade em campo. Para Vavá Ribeiro, os dois serão destaques da Série B e conseguirão uma grande valorização não apenas no mercado nacional. Quanto a Jumar, o dirigente voltou a negar que o Paraná já tenha negociado 50% dos direitos econômicos do atleta à Traffic, que já detém a outra metade, adquirida junto ao Bandeirantes no início do ano.

?Houve sondagens, mas apenas isso. O Jumar está nos planos e tem contrato até 2012. Quem quiser levar tem que pagar o que vale?, disse Vavá, sem citar o valor da multa rescisória ou dos 50% do atleta. ?No momento, meu interesse maior não é vender, mas contratar?, frisou o dirigente, que segue conversando com possíveis reforços, em especial do mercado paulista. Há mais de uma semana o observador técnico Moisés Cândido vem mantendo contatos no interior de São Paulo.