Os 3 a 1 sofridos em pleno Morumbi no primeiro jogo da semifinal da Copa Sul-Americana obrigam o São Paulo a vencer, no mínimo, por 3 a 0 no jogo de volta, na semana que vem, em Mogi Mirim (SP), para não ser eliminado. Os jogadores admitem que a situação ficou bastante complicada, mas prometem muito empenho para tentar reverter o placar.

Paulo Henrique Ganso concorda que o favoritismo agora passou para a equipe campineira, mas tenta buscar exemplos dentro do futebol para se manter motivado. O camisa 8, autor do único gol do São Paulo no Morumbi, usou o recente caso da França, que conseguiu se classificar para a Copa de 2014 após reverter uma desvantagem de 2 a 0 contra a Ucrânia – venceu por 3 a 0, em Saint-Denis, e se garantiu.

“É uma vantagem excelente. Para a Ponte é muito bom, mas o São Paulo tem time para reverter essa situação. No futebol tudo é possível, veja a própria França que se classificou para a Copa fazendo três gols. Temos que tomar exemplos do futebol porque também temos chance de nos classificar”, afirmou o meia.

Apesar do otimismo do discurso, elenco e comissão técnica já preparam terreno no caso de eliminação. Cientes que a torcida não aceitará a queda em uma competição internacional para um rival virtualmente rebaixado no Campeonato Brasileiro, os atletas tentam minimizar o impacto e preferem ressaltar a qualidade da Ponte Preta. “Não digo vexame, mas a Ponte é muito forte e se preparou para essa competição, na última fase eliminou um rival forte que é o Vélez. Precisamos saber que será difícil, mas dá para reverter”, finalizou Paulo Henrique Ganso.