Adriano é página virada no Coritiba. Pelo menos esta é a posição oficial da diretoria, que não comenta mais o assunto. O jogador não interessa mais ao Coxa, só que essa história pode ser retomada na metade do ano. Não será surpresa caso o meia do Atlético, depois que seu contrato expirar, faça enfim o caminho entre a Baixada e o Alto da Glória.

A frase que abre este texto é do vice-presidente Domingos Moro, que deixou bem claro que não se fala mais em Adriano. “Vamos deixar que ele tenha seu futuro, seja onde for, e que seja feliz”, afirma. “Nós ficamos muito satisfeitos com a sondagem que recebemos e sempre deixamos claro que estaríamos muito felizes caso o Adriano jogasse no Coritiba. Mas há pessoas mais competentes que eu, e que não pretendiam que esse negócio acontecesse”, completa.

Essas “pessoas mais competentes” seriam do Atlético, que sempre afirmaram que o Gabiru não jogaria no Coxa. Nos bastidores, entretanto, os alviverdes continuam trabalhando no projeto, até para responder aos rubro-negros. “Ele vai sair do time grande para jogar no time pequeno”, diz um diretor coxa, citando a crítica do assessor da presidência atleticana Antônio Carletto, que teve uma discussão em uma emissora de rádio com Domingos Moro.

Agora, o Cori vai esperar o final do vínculo de Adriano com o Atlético (31 de junho). A partir do dia 1.º de julho, o meia estará livre, ligado apenas ao empresário Juan Figger, que detém 75% dos seus direitos federativos. Como o uruguaio é parceiro coxa, a intenção é levar um dos maiores ídolos da história rubro-negra recente para o maior rival.

Enquanto isso, a diretoria alviverde segue negando a venda de Marcel, que não está mais em Curitiba. O centroavante, segundo os dirigentes, está em Mirassol, sua cidade natal. Mas, pela primeira vez, foi confirmada a proposta do Samsung, o que denota que o negócio já está fechado. O anúncio só deverá acontecer depois dos exames médicos que o jogador é obrigado a passar antes de assinar contrato com os coreanos.

Lateral

Aproveitando a parceria com Figger, o Coritiba deve apresentar ainda hoje o lateral-direito Janiro, que é ligado ao empresário. Ele começou no Paraná (e lá foi convocado para várias seleções brasileiras de base) e depois transferiu-se para a Udinese, onde foi pouco aproveitado. No ano passado, ele chegou a jogar partidas da Copa Sesquicentenário pelo Atlético. Em contrapartida, o meia Alexandre Fávaro foi emprestado por três meses para a Acadêmica de Coimbra, da primeira divisão do futebol português , com passe estipulado. “É uma experiência boa para ele, com a possibilidade de um negócio futuro”, comenta Moro.