São Paulo – Depois da saltadora Maurren Higa Maggi anunciar a mudança para Mônaco com o namorado Antônio Pizzonia, piloto de testes da F-1, e rescindir o contrato com a BM&F, restam dúvidas. Se diz que vai treinar em Montecarlo, conseguirá seguir um planejamento sem o técnico Nélio Moura? “Falei com o Nélio e ele não decidiu se continuará com ela. Mas pensa em passar os treinos. Agora, sair da equipe é que ele não sairia”, disse Sérgio Coutinho Nogueira, diretor-técnico da equipe de atletismo da BM&F.

Para o dirigente, Maurren não terá problemas no exterior para treinar, uma vez que é conhecida. “A pista de lá é excepcional e o acesso não será complicado. Todo mundo sabe quem é a Maurren.”

A idéia é reforçada pelo técnico Jayme Netto, dos atletas da equipe brasileira de velocidade e revezamento. “Os atletas de alto nível têm agentes na Europa, que cuidam dos calendários e de inscrições em meetings. Não haverá nenhuma dificuldade”, acredita. O agente de Maurren é do grupo holandês Jos Hermens e, segundo Netto, está com ela desde o início de sua carreira.

A opção da atleta de deixar o Brasil fez Sérgio Coutinho lamentar “ela deixar todo o investimento feito por uma aventura mas ela tem o direito de errar”. Ele teria incentivado a atleta a continuar treinando em Mônaco.