Uma caricatura de time de futebol se apresentou ontem na Arena e viu o Atlético Mineiro desfilar no gramado e aplicar uma goleada (4 a 0), com direito a olé gritado pela torcida rubro-negra.

O Atlético Paranaense tentou jogar até os 32 minutos da 1.ª etapa, quando inclusive já estava perdendo por 1 a 0, depois de mais uma falha do sistema defensivo que deixou o experiente Júnior abrir o placar aos 27. Mas foi após a expulsão de Marcinho que o Furacão se entregou totalmente e a goleada se tornou questão de tempo.

Gols

Desde o apito inicial, o Atlético foi dominado, principalmente porque perdeu o meio-de-campo e não conseguiu encaixar uma marcação eficiente. Assim, o Galo dominou as ações e fez por merecer o resultado. Para se ter noção da improdutividade do Rubro-Negro, quando deveria buscar uma reação no 2.º tempo, o time não chutou nenhuma bola no gol defendido por Aranha e foi completamente envolvido. E a equipe – que era um amontoado de jogadores em campo – apenas observou o adversário construir o elástico placar como quis.

Aos 10 minutos, Márcio Araújo pediu passagem na defesa atleticana tabelou e deixou Tardelli sozinho para ampliar 2 a 0.

A torcida perdeu a paciência 20 minutos mais tarde e entoou gritos de “queremos jogador, segunda divisão, time sem vergonha e olé”. Pressionado, não demorou muito para o Furacão se entregar de vez e assistir o Galo assinalar mais dois gols, com Eder Luís.

Após o vexame em campo, poucos atletas comentaram a apresentação pífia do time. “A expulsão ajudou o time deles. Temos confiança de que com trabalho vamos reverter a situação”, disse o jovem atacante Marcelo.

Para o capitão Antônio Carlos o resultado foi lamentável e não há como se desculpar. O resultado da vexatória derrota foi o pedido de demissão do treinador.