O Atlético foi a Paranavaí, não jogou nada, e conheceu na tarde de ontem a terceira derrota consecutiva, a segunda no Campeonato Paranaense. O resultado (2 a 1) adiou a conquista do 1.º lugar da fase de classificação e consequentemente os dois pontos de bonificação para a etapa final da competição.

O destaque da partida foi o atacante Edenilson, do ACP, autor de dois gols que garantiram a vitória, de virada, à sua equipe. A fraca apresentação demonstrou que o Rubro-Negro necessita mudar o comportamento para reencontrar o futebol dinâmico de rodadas passadas.

A chance de reabilitação será na quarta-feira, contra o Engenheiro Beltrão, na Arena. O sinal de alerta foi ligado na Baixada, já que a fase decisiva da competição se aproxima.

Jogo

Na primeira etapa, o Furacão apenas entrou em campo, porque quem jogou foi o Vermelhinho, que criou diversas oportunidades, com bons arremates de fora da área que atrapalharam a vida de Vinícius.

O Atlético esteve desligado, perdendo todas as divididas e errando passes em demasia. Finalizou somente duas vezes e sem nenhum perigo para Danilo. “Não podemos dar tanta chance e espaço para o adversário”, alertou o camisa 1 atleticano na saída para o intervalo, como que prevendo o fracasso final.

A conversa do vestiário ajudou o Furacão, que voltou com uma melhor postura na segunda etapa. Rafael Moura e Julio dos Santos, que entrou no 2.º tempo e deu qualidade ao passe, perderam boas chances de abrir o placar.

Aos 27 minutos, Lima deu esperança de vitória ao torcedor rubro-negro ao acertar um chute cruzado e marcar 1 a 0. Mas a alegria não durou quase nada. Logo na saída de bola, o Vermelhinho demonstrou o porquê da boa sequência de resultados no campeonato.

Edenilson desequilibrou e assinalou dois gols em cinco minutos. Na primeira oportunidade se livrou de Antônio Carlos e chutou no cantinho. Na sequência viu Vinícius adiantado e marcou um golaço, decretando a vitória para a sua equipe. Com os tentos, o camisa 9 do ACP se igualou aos artilheiros do campeonato estadual, com 7 gols.

Antes do término da partida, o zagueiro João Marcelo e o atacante Rafael Moura se desentenderam e foram expulsos. He-man é desfalque para o próximo compromisso na Arena, da mesma forma que Zé Antônio, que recebeu o terceiro cartão amarelo.

A expulsão foi a segunda de Rafael no estadual e ele disse se sentir perseguido. “Fui conversar com ele (Roman). É sacanagem. A expulsão me tira da briga pela artilharia, me tira o foco. Acho que hoje foi marcação. Estou indignado”, complementou o atacante rubro-negro.

Julgamento

A semana será decisiva para o planejamento do Atlético. Além do jogo diante do Engenheiro Beltrão, o clube espera o julgamento de quinta-feira no STJD para saber se terá direito ao “supermando” que pleiteia na Justiça. Caso vença o recurso, o clube jogará às sete partidas da fase final na Arena, com direito as rendas, além da bonificação dos pontos extras conquistada em campo.