Dois técnicos, dois times e nada menos do que 53 jogadores já foram utilizados pelo Atlético nesta temporada 2013, que mal iniciou. A razão desta alta rotatividade está na forma como o clube planejou começar o ano. Relegando o Campeonato Paranaense, passou a disputar a competição com um grupo sub-23. Por outro lado, o elenco principal foi excursionar na Espanha. O resultado é que o princípio básico do período definido como pré-temporada e início de temporada, que é encaixar um time-base e dar ritmo de jogo à equipe, foi abandonado pelo Rubro-Negro. Dia 3 de abril, quando o Furacão estrear na Copa do Brasil, sabe-se lá em que nível de competição irá enfrentar o Brasil de Pelotas-RS.

Entre os chamados time principal e sub-23, o que atualmente disputa o Campeonato Paranaense é o que teve a maior rotatividade. Sob o comando do técnico Arthur Bernardes, 30 jogadores já foram testados – 26 somente no Estadual. Mesmo assim, depois de oito rodadas, o treinador parece ainda não ter encontrado o time ideal. Pelas mudanças feitas até agora, a insatisfação maior está no setor ofensivo – autor de apenas 6 gols no campeonato. Entre meio-campistas e atacantes, foram utilizados nada menos do que 12 jogadores. Por outro lado, a zaga atleticana teve um rodízio menor: apenas quatro zagueiros foram utilizados no campeonato.

Já o time principal, que por enquanto só disputou jogos-treinos, a Marbella Cup e dois amistosos realizados na Espanha, usou 23 jogadores, ou seja, mais de dois times. Neste número, há muitas caras novas que o torcedor sequer teve a oportunidade de ver ainda. Entre elas, os meio-campistas Everton e Maranhão, o zagueiro Léo Pereira, o goleiro Alexandre e o meio-campo Bruno Rosseto, vindos das categorias de base, e o atacante Éderson, que voltou de empréstimo depois de vestir a camisa do ABC-RN, em 2012. O rol pode aumentar, já que os laterais Arílton e Myller Alves, os meio-campistas Lucas Dantas e Fran Mérida, e o atacante Ciro, ainda não estrearam pelo Atlético. Ou seja, não será surpresa se até o dia 3 de abril o Rubro-Negro tiver colocado em campo quase 60 jogadores, antes mesmo que a temporada de torneio nacionais tenha começado.