Pela primeira vez no G4, o Atlético volta as suas atenções para a Copa do Brasil, onde amanhã, às 21h50, na Vila Capanema, terá que vencer o Palmeiras por dois gols de diferença para avançar para as quartas de final. Porém, para conseguir passar de fase, o Furacão vai desafiar os números que têm como mandante na temporada de 2013. Dos dez jogos que fez em casa neste ano, o time atleticano saiu de campo com dois gols de vantagem somente em três partidas.

Dos três jogos que o Atlético venceu por mais de um gol de diferença, dois foram sob o comando do técnico Vagner Mancini. Aconteceu nas vitórias por 2×0 contra Goiás, na 11.ª rodada do Brasileiro, e anteontem, quando o Furacão venceu o Botafogo pelo mesmo placar. Na outra ocasião que conseguiu vencer em casa por um placar acima de um gol, o Rubro-Negro, pela primeira fase da Copa do Brasil, quando ainda mandava seus jogos no Ecoestádio, bateu o Brasil de Pelotas por 2×0.

Nos outros sete jogos, o Atlético não perdeu, mas conquistou resultados que servem para o Palmeiras seguir na Copa do Brasil. Pela terceira fase da competição nacional, por exemplo, depois de empatar sem gols com o Paysandu, em Belém, o time atleticano, que tinha acabado de estrear o técnico Vagner Mancini no seu comando, venceu por 2×1, na Vila Capanema e, apesar de classificado, saiu sob protestos do gramado do Durival Britto.

Além disso, outro fator pesa contra o Atlético para o duelo de amanhã é o número de gols sofridos nas partidas que fez em casa na temporada. Como na Copa do Brasil o gol feito fora de casa tem peso dobrado, sofrer um gol do time paulista, no duelo de volta, na Vila Capanema, pode complicar os planos do Rubro-Negro em chegar às quartas de final.

Dos dez jogos que o Atlético fez dentro de casa neste ano, somente em quatro ele passou em branco. Entretanto, o desempenho defensivo pode ser considerado bom, já que tomou oito gols no total e tem média de 0,8 gol sofrido por partida. Por outro lado, os números do ataque não chegam a animar. Foram 17 tentos anotados em dez jogos e média de 1,7 gols feitos por partida quando jogou como mandante em 2013.

Porém, independentemente dos números, o Atlético quer colocar à prova, amanhã, contra o Palmeiras, a boa fase que está vivendo na temporada.