A prorrogação de contratos trouxe dor de cabeça para o Atlético e também para os atletas envolvidos. Mais especificamente no caso Jancarlos.

Desde 2007, lateral e clube brigam nos tribunais em decorrência do contrato. E a novela está longe de ter um desfecho.

No mês passado (setembro), o ministro João Batista Brito Pereira, do Tribunal Superior do Trabalho, concedeu liminar favorecendo Jancarlos, para que ele possa continuar defendendo o Cruzeiro.

Com a liminar, prevalece decisão de primeiro grau, na qual o juiz da 4.ª Vara do Trabalho de Curitiba, julgou procedente o pedido do atleta (nulidade da cláusula de prorrogação de contrato unilateral) por considerar que foi violado o princípio da boa-fé.

O clube já recorreu e tenta cassar a liminar. Essa liminar apenas garante a Jancarlos o direito de jogar pela Raposa, mas não entra no mérito da decisão do Tribunal Regional do Trabalho (TRT).

Histórico

Anteriormente a essa decisão provisória do TST, o Atlético já havia conquistado vitória no TRT, da 9.ª região. O clube conseguiu reverter a sentença de primeiro grau e determinou à CBF o cancelamento do registro do atleta junto ao Cruzeiro.

A defesa do jogador contestou a decisão perante ao TRT e perdeu. Na sequência apelou ao TST. Obteve a liminar que o Furacão tenta cassar. Mas a “novela Jancarlos” ainda terá novos desdobramentos.