Bernardo Pigmeu igualou a maior nota
do evento na sua bateria de ontem.

As ondas continuam subindo e já chegaram à 2 metros de altura na Praia Mole, mas o vento Sul, a chuva e o frio também marcaram o segundo dia do Onbongo Pro Surfing 2002 na Ilha de Santa Catarina. As condições estavam tão adversas que os organizadores da 44.ª etapa do Circuito Mundial WQS (World Qualifying Series) decidiram apenas realizar a terceira rodada da competição. A previsão era de colocar no mar ainda as oito primeiras baterias da quarta fase, que foram transferidas para hoje, a partir das 9h.

Com isso, a estréia dos cabeças-de-chave do Onbongo Pro Surfing acabou sendo transferida para amanhã. Já os maiores destaques de ontem em Florianópolis foram o carioca Marcelo Trekinho e o pernambucano Bernardo Pigmeu, que igualaram o recorde de maior nota do paraibano Jano Belo, com ambos também recebendo uma nota 9,17 em suas baterias.

Há 3 anos residindo em Floripa, o pernambucano Bernardo Pigmeu admitiu que o conhecimento das ondas da Praia Mole pode lhe dar uma vantagem para conquistar um bom resultado no Onbongo Pro Surfing. “Eu treino sempre aqui e a minha expectativa é fazer outra final aqui, apesar de as condições estarem bem diferentes daquelas do começo do ano”, disse Pigmeu, referindo-se ao quarto lugar conquistado na etapa que abriu o Circuito Mundial em janeiro.

“Escolhi usar uma prancha nova na bateria e não comecei muito bem, mas depois consegui encaixar nas séries, tirei um 6 e pouco e em seguida aquele 9,17”, contou Pigmeu. Nos últimos minutos, o catarinense Beto Mariano garantiu a segunda vaga para a quarta fase, com os dois brasileiros despachando o neozelandês Blair Stewart e o norte-americano Matt Yates.

Beto, ao lado de Pigmeu, vai disputar a última bateria da quarta fase do Onbongo Pro Surfing, junto o baiano Crhistiano Spirro e o norte-americano Chris Ward.

Duelo

Dos 64 surfistas que competiram nesta quinta-feira na Praia Mole, vinte eram estrangeiros e metade acabou eliminada da competição. Mas, os australianos mostraram sua força e venceram seis das dezesseis baterias da quarta fase do Onbongo Pro Surfing. Um confronto Brasil x Austrália inaugurou a competição no segundo dia, com Dayyan Neve ganhando a primeira disputa por duas vagas para a última rodada das triagens. Campeão da etapa que abriu o WQS também na Praia Mole em janeiro, o carioca Anselmo Correia classificou-se em segundo lugar despachando o catarinense Raphael Becker e o australiano Cristo Hall.

O Onbongo Pro Surfing 2002 é uma realização conjunta da Fecasurf (Federação Catarinense de Surf) e a ASP (Assocation of Surfing Professionals), com patrocínio da Onbongo e Codesc. A competição tem o nível máximo de classificação do WQS, oferecendo US$ 100 mil em prêmios e 2.500 pontos no ranking que garante 15 vagas na elite do ASP World Championship Tour (WCT).