Zurique – O jogo mais esperado da segunda rodada das eliminatórias para a Eurocopa de 2008, que será na Suíça e na Áustria, acontece hoje, às 16h (de Brasília, com transmissão ao vivo da ESPN Brasil), em Paris. A reedição da final da Copa do Mundo. De um lado, a França, já sem o craque Zidane. Do outro, a tetracampeã Itália. Um confronto recheado de polêmicas.

Para os franceses, a revanche da decisão do mundial e uma oportunidade de se firmar na liderança do Grupo B – venceu a Geórgia por 3 a 0. Aos italianos, uma chance de se reabilitar após o decepcionante empate contra a Lituânia, em casa, por 1 a 1, sábado passado.

Revelação

O maior mistério da Copa da Alemanha foi finalmente revelado. O zagueiro italiano Marco Materazzi contou na edição de ontem do jornal La Gazzetta dello Sport que de fato provocou Zinedine Zidane, ofendendo sua irmã. O resultado foi uma cabeçada do francês e sua expulsão pela agressão. A Itália, com um jogador a mais, acabou vencendo a partida nos pênaltis e conquistando seu quarto título mundial. O italiano foi suspenso por dois jogos. Zidane se aposentou do futebol.

O zagueiro ainda explicou que não foi ele quem provocou primeiro. ?Eu apenas respondi, verbalmente, a uma provocação. Tanto ele como eu estávamos falando. Não foi eu quem comecei. Eu segurei sua camisa, mas ele me disse: ?Se você quiser minha camisa, te dou depois da partida?. Isso não seria uma provocação??, questionou Materazzi em entrevista ao jornal.

?Eu respondi que preferiria sua irmã. Sei que não foi algo simpático, reconheço. Mas, felizmente, houve uma dezena de jogadores que confirmaram depois que se dizem coisas muitos piores num campo de futebol?, explicou o zagueiro, que se recusa a lamentar seu gesto. ?Isso significaria que Zidane tinha razão?, disse.

O italiano, porém, se queixa de que, até hoje, Zidane não se desculpou pela ação. ?Não sou eu quem devo pedir desculpas. Se fosse, seria à sua irmã?, disse Materazzi. O zagueiro jura que não sabia que Zidane tinha uma irmã antes de ofendê-lo. Zidane, porém, se recusa a pedir desculpas ao italiano, ainda que tenha se desculpado às crianças por seu gesto que ?não seria perdoável?.