A Federação Francesa de Futebol convocou cinco jogadores, entre eles o capitão Patrice Evra e o meia-atacante Franck Ribery, para depor nesta terça-feira sobre a greve da seleção francesa durante um treino na Copa do Mundo da África do Sul.

Os demais jogadores são Jeremy Toulalan, Eric Abidal e Nicolas Anelka, que motivou a greve. Durante o intervalo da partida contra o México, o atacante xingou o técnico Raymond Domenech e, em seguida, acabou cortado da seleção francesa. Revoltados, os seus companheiros decidiram então boicotar um treino. Em meio a tantas crises, a França acabou eliminada ainda na primeira fase da Copa.

Além dos jogadores, também devem participar do inquérito o próprio Domenech e o assistente técnico Alain Boghossian. Os atletas já foram todos punidos financeiramente, com o corte do bônus pela participação na Copa, mas há a expectativa de que eles possam ser suspensos da própria seleção.

Atual treinador da França, Laurent Blanc procurou minimizar esta possibilidade. “Não me tornei treinador para punir a seleção francesa. Estou interessado apenas em contar com os melhores jogadores. Para conseguir os melhores resultados, preciso do melhor time”.