A fácil vitória contra a Tailândia nesta sexta-feira, pela segunda fase do Grand Prix, em Macau, surpreendeu a seleção brasileira feminina de vôlei. As adversárias asiáticas só conseguiram fazer mais de quinze pontos no segundo set e a partida não durou mais de uma hora. Mas para o duelo de sábado contra a Polônia, a partir das 3 horas (horário de Brasília), a história pode ser outra. Embora afirme que as rivais não sejam tão técnicas, a ponteira Mari espera um adversário mais alto e mais forte.

“Achamos que elas (as tailandesas) iriam confundir mais a nossa cabeça”, afirmou Mari, antes de analisar o próximo adversário, oitavo colocado no Grand Prix com três derrotas e uma vitória. “Vamos ver o vídeo delas ainda. Sabemos que as jogadoras são mais altas e fortes, mas tecnicamente não são tão boas quanto as tailandesas”. Nesta sexta-feira, as polonesas perderam para as chinesas por 3 sets a 2.

O técnico José Roberto Guimarães, comentando da vitória sobre a Tailândia, afirmou que o Brasil se preparou bem para o confronto, o que explica a facilidade da partida. “Não demos chance para que a Tailândia pudesse nos causar dificuldades. Estávamos esperando mais. Estudamos bastante o time da Tailândia, que tem muitas combinações de ataque, mas não deixamos que elas conseguissem executar as jogadas. Gostei do Brasil na partida”, assegurou o treinador.

O Brasil lidera o Grand Prix com quatro vitórias, sem sequer ter cedido um único set. Já as tailandesas são as sétimas, com duas vitórias e duas derrotas.