Pouco antes de Duda conquistar o bicampeonato mundial no salto em distância, dois brasileiros tiveram boa atuação no salto com vara no Mundial Indoor de Sopot, na Polônia. Thiago Braz, de apenas 20 anos, atual campeão mundial juvenil, terminou na quarta colocação, a um salto da medalha. Já Augusto Dutra ficou em sétimo, mesmo machucado.

“Achei que nem ia conseguir saltar, tiver uma entorse no tornozelo. Foi uma conquista e tanto estar aqui e conseguir saltar. Minha meta foi alcançada, dei o meu melhor”, comentou Augusto, que sofreu uma entorse no tornozelo direito em Malmo (Suécia), no início da temporada indoor europeia, e perdeu toda a fase de preparação.

Mesmo com dores, Augusto se superou. Acertou 5,40m na primeira tentativa, passou 5,55m na segunda e 5,65m na terceira, obtendo sua melhor marca na temporada. Depois, falhou três vezes ao tentar 5,75m e acabou eliminado no sétimo lugar.

Já Thiago ficou muito perto de bater o próprio recorde sul-americano indoor, de 5,76m, cinco centímetros melhor do que era a melhor marca da América do Sul (de Augusto) no início do ano. Saltando bem, passou 5,75m, mas falhou nas três tentativas a 5,80m. Chegou a beliscar o bronze, mas perdeu a medalha quando o checo Jan Kudlicka acertou sua última tentativa a 5,80m, com o melhor salto da sua carreira, tirando o bronze do brasileiro.

“Estava me sentindo bem. Mas, infelizmente, não deu. Deixa para a próxima. Foi meu primeiro Mundial, estou feliz”, comentou Thiago. “Agora, a gente vai se preparar para a temporada em pista aberta. E também vai se preparar para o Mundial do próximo ano, para estar entre os três primeiros”, destacou ele, em entrevista ao SporTV.