Eliminado pelo Atlético-MG da Copa do Brasil ao perder em casa de virada por 2 a 1 na última quinta-feira, o Santos quer se vingar no reencontro com o time mineiro neste domingo, às 19 horas, na Vila Belmiro. O duelo, desta vez, é pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro.

Apesar dos bons números no Brasileirão – soma 14 pontos e está na luta pelo topo da tabela -, o Santos não tem tido boas performances nos últimos jogos e tem falhado em fundamentos importantes, como a finalização. A inconstância preocupa o técnico Jorge Sampaoli, que busca alternativas para os seus comandados voltarem a apresentar o futebol envolvente e ofensivo que encantou os torcedores.

Além da possibilidade de se vingar, o duelo também é muito importante para o Santos pois o Atlético-MG, com um ponto a mais, é um adversário direto na briga pela parte de cima da tabela e também um dos postulantes ao título no momento.

A eliminação mudou o ambiente no time paulista. Antes cercado de descontração e euforia, o cenário agora é de desconfiança e críticas. Houve até desabafo do meia uruguaio Carlos Sánchez, que reclamou publicamente de ter atuado em alguns jogos fora de sua posição, como ponta direita ou até mesmo como ala.

Os desfalques de Sampaoli são os mesmos dos últimos jogos: Cueva e Derlis González, com as seleções de Peru e Paraguai, para a disputa da Copa América, e Rodrygo. O atacante foi convocado para a seleção brasileira olímpica, não se apresentou, mas não conseguiu a liberação da CBF para jogar suas últimas partidas pelo Santos antes de se apresentar ao Real Madrid.

É muito improvável que o jovem, que, pelo imbróglio com a CBF, foi ausência nos últimos jogos contra Ceará e Atlético-MG, seja desconvocado e possa atuar. Assim, apesar do desejo de Rodrygo de se despedir do clube que o revelou no clássico contra o Corinthians, na próxima quarta-feira, a despedida do jogador pode ter sido o empate sem gols com o Internacional, há duas semanas.