O Campeonato Brasileiro começou em má hora para o Fluminense. A primeira rodada foi disputada com time de garotos por causa da briga paralela na Copa Libertadores. A segunda partida, neste domingo, às 18h30, contra o Figueirense, no Engenhão, será jogada sob o efeito da eliminação na competição continental, na última quarta-feira, e com uma série de desfalques no ataque. Menos mal que a garotada venceu o Corinthians na estreia.

Desta vez, os veteranos voltam para compor a defesa e o meio de campo, mas os problemas do técnico Abel Braga para armar o setor ofensivo são muitos. Além de Deco e Fred, afastados por lesão há duas semanas, o treinador não conta com Wellington Nem, na seleção brasileira, e perdeu Rafael Sóbis e Rafael Moura.

Rafael Sóbis sofreu um estiramento na coxa direita contra o Boca Juniors e está fora por tempo indeterminado. Rafael Moura cumpre longa suspensão referente a seu desentendimento com Renato no clássico contra o Flamengo pelo Brasileirão do ano passado – ele só voltará na oitava rodada. O próprio Abel Braga cumpre gancho por ofensas ao árbitro na mesma partida. O auxiliar Leomir de Souza comanda o time do banco.

Assim, o técnico tricolor tem como opção confiar nos promissores Marcos Júnior e Samuel, de 19 e 21 anos, ou adianta Thiago Neves para o ataque. Júnior e Samuel atuaram na vitória sobre o Corinthians, sem muito brilho, mas desta vez teriam o suporte de um meio de campo experiente. “Marcos vai começar jogando, a outra opção é que ainda vou pensar”, adiantou Abel Braga. “Nenhum zagueiro gosta de encarar o Samuel, que é forte, não tem bola perdida para ele. Posso adiantar o Thiago também”.

O comandante tricolor admite que a dor pela queda na Libertadores ainda é grande, mas que o bom ambiente no clube ajuda a aliviar a tristeza. A meta agora é retornar à competição continental por meio do Brasileirão.