O meia argentino Conca finalmente reapresentou seu bom futebol, enquanto o atacante Rafael Moura conseguiu fazer mais uma boa atuação. Assim, o Fluminense derrotou o América por 3 a 1, na noite desta quarta-feira, no Engenhão, pela segunda rodada da Taça Rio.

Melhor jogador do último Brasileirão, Conca fez um gol e deu uma assistência para Rafael Moura, autor dos outros dois gols, que levam o Fluminense aos seis pontos no Grupo B. O América, por sua vez, fica nos três pontos no Grupo A e, com sete pontos na soma dos dois turnos, ainda luta contra o rebaixamento no Campeonato Carioca.

De início, um lance em que a arbitragem prejudicou o Fluminense. No primeiro minuto, Araújo foi lançado e ficaria frente a frente com o goleiro. Mas o assistente assinalou impedimento erradamente. Foi o único momento em que o time do técnico Muricy Ramalho criou situação de gol nos 30 minutos iniciais. No mais, ousava pouco e errava passes.

Por boa parte da primeira etapa, o América detinha a posse de bola, mas a produção ofensiva não representava tal domínio. O grande lance foi a jogada individual do atacante Diguinho, que passou pelo zagueiro Gum e chutou na trave. A bola quicou fora do gol e foi afastada pela zaga do Fluminense.

Um cochilo da defesa americana, porém, custou caro. Os jogadores ficaram assistindo à cobrança de lateral e Rafael Moura dominou na grande área, girou em cima da marcação e achou Conca livre na pequena área para apenas empurrar para as redes. Foi o primeiro gol do meia argentino na atual temporada.

“Foi bom dar essa assistência para o Conca. Ele precisa recuperar a confiança para nos ajudar no resto da temporada”, comentou Rafael Moura, consciente de que o companheiro vinha vivendo uma má fase.

A chuva apertou na segunda etapa, mas o clima da partida esquentou. Aos três minutos, o árbitro marcou pênalti inexistente de Leandro Euzébio em Michel. Diguinho cobrou com displicência e Ricardo Berna, muito adiantado, fez a defesa, evitando o empate do América.

Como que desperto pelo lance, o Fluminense logo ampliou o placar. Araújo desviou de cabeça, após cobrança de falta, e Rafael Moura completou para o gol. Aos 26, Conca apareceu bem novamente. Ele recebeu em profundidade e girou para encontrar Rafael Moura sozinho na pequena área: 3 a 0.

O América ainda descontou. Felipe Assis e Bruno Reis tabelaram pelo meio da zaga e o último tocou para o gol vazio. Foi apenas um suspiro. A partir daí, o Fluminense controlou as ações e administrou a boa vitória no Engenhão.

FICHA TÉCNICA:

Fluminense 3 x 1 América

Fluminense – Ricardo Berna; Mariano, Gum, Leandro Euzébio e Carlinhos (Júlio César); Diogo, Diguinho, Marquinho (Souza) e Conca; Araújo (Emerson) e Rafael Moura. Técnico – Muricy Ramalho.

América – Paulo Wanzeler; Michel (Leandro), Alan, Luiz Antônio e Felipe Assis; Ives, Mário César, Bruno Reis e Ruy Netto (Leo Oliveira); Diguinho (Gustavo) e Hugo. Técnico – Lulinha.

Gols – Conca, aos 32 do primeiro tempo; Rafael Moura, aos 8 e aos 26, e Bruno Reis, aos 34 do segundo tempo.

Árbitro – João Batista de Arruda.

Cartão amarelo – Rafael Moura, Leandro Euzébio, Alan e Bruno Reis.

Renda – R$ 71.550,00.

Público – 3.282 pessoas.

Local – Estádio Engenhão, no Rio.