Ciciro Back
Pantera quase não teve
trabalho no jogo.

Se havia alguém com a alma lavada no vestiário tricolor era o goleiro Flávio. Há quatro anos no Paraná Clube, o Pantera saboreou a primeira vitória fora de casa sobre o ex-clube com desabafo e sutis provocações.

Depois do segundo gol paranista, a cada bola que defendia o goleiro virava o rosto e encarava a torcida atleticana atrás de seu gol. Depois do jogo, contou que o gesto foi uma forma de reagir a algumas atitudes que considerou desrespeitosas. ?Sempre sou provocado e xingado na Arena. Tem que haver respeito ao adversário.

(O gesto) Foi para extravasar a alegria, mas não há necessidade de criar polêmica em cima disso?, disse Flávio, que foi pouco exigido na partida.