A diretoria flamenguista convocou uma entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira para se posicionar sobre a ação judicial impetrada por Ronaldinho Gaúcho, que, alegando atraso no pagamento dos direitos de imagem, conseguiu liminar no dia anterior para deixar o clube. Segunda a presidente Patricia Amorim, o Flamengo será “implacável” na luta pelos seus direitos nesse caso.

Patricia Amorim não escondeu sua surpresa e decepção com a atitude do jogador. “Queria dizer que nosso sentimento é de decepção, de tristeza. Fizemos um esforço enorme e acreditamos muito nesse investimento quando contratamos ele. No primeiro ano foi um grande negócio e, com a saída do parceiro, fomos corretos, acreditando que teríamos um retorno. Arcamos com uma dívida que não era nossa e, daí em diante, mantivemos conversas com o jogador sempre sendo francos, olho no olho. Agora recebemos essa pancada de quem disse que sairia pela porta da frente”, avisou a presidente.

Ela também prometeu uma incansável briga judicial contra Ronaldinho. “A torcida também apostava nele quando contratamos, mas, ao longo do tempo, o que todos esperavam não aconteceu. Foi uma decepção enorme e peço desculpas aos torcedores se o Flamengo falhou. Mas seremos implacáveis em busca dos direitos do clube. Vamos nos mobilizar para isso e faremos tudo o que estiver ao nosso alcance, em qualquer esfera. Não existe jogador, dirigente… ninguém que possa se achar maior do que o Flamengo. E nem permitiremos que tentem manchar o nome da instituição. A luta está apenas começando”, afirmou.

Também presente na entrevista, o vice-presidente jurídico do Flamengo, Rafael De Piro, fez questão de ressaltar os atos de indisciplina de Ronaldinho desde que chegou ao clube, em janeiro do ano passado. “O sentimento geral é de indignação por tudo o que ele fez com o clube durante esse tempo todo. Fizemos um esforço enorme para manter o jogador aqui e não tivemos nenhuma contrapartida. Em troca, recebemos um mandado”, disse o dirigente. “Isso virou questão de honra para o Flamengo. Vamos reverter essa causa seja onde for. Eventualmente, o Flamengo é que pode pedir até uma indenização.”

Zinho, recentemente contratado para ser diretor de futebol do Flamengo, acredita que Ronaldinho não teve uma postura profissional no clube. “Quando cheguei aqui, recebi um pedido para deixar o futebol do Flamengo organizado, com uma conduta profissional. Fui claro com os atletas. Falei com todos. Com ele, falei uma única vez sobre um desvio e disse, na frente de todos, que não iríamos permitir isso. Acabou a bagunça, acabou a festa. A corda apertou, não tinha mais regalias para ninguém e acho que isso pode ter sido um dos motivos para ele sair pela porta dos fundos”, avaliou o dirigente.