Genebra – A Fifa decide inovar para evitar os efeitos negativos do terrorismo. A entidade máxima do futebol está emitindo ações no mercado financeiro internacional para conseguir captar recursos que serviriam de garantias caso a ameaça terrorista leve ao cancelamento da Copa do Mundo de 2006, na Alemanha.

A perspectiva da Fifa é de que, com as ações que estão sendo colocadas no mercado, cerca de US$ 250 milhões possam ser atraídos já nos próximos meses. Investidores poderão comprar quotas de US$ 50 mil, que renderiam juros. O dinheiro, portanto, faria parte de um fundo que seria utilizado caso ameaças de grupos terroristas impossibilitassem a realização do evento. O dinheiro seria usado pela Fifa para pagar patrocinadores, organizadores e cobrir os custos de construção dos estádio.