A Fifa anunciou nesta terça-feira que doará US$ 250 mil (cerca de R$ 430 mil) às famílias das vítimas da tragédia ocorrida em uma partida de futebol na cidade de Port Said, no Egito, na semana passada. Na ocasião, 74 pessoas morreram no confronto entre as torcidas de Al Masry e Al Ahly.

“Eu disse após a tragédia que aquele era um dia negro para o futebol. Ainda estou muito chocado com o que aconteceu. Muitas destas vítimas eram muito jovens. Eles davam apoios cruciais para suas famílias, que agora precisam de ajuda. A comunidade do futebol, incluindo a Fifa, deve ajudar estes irmãos e irmãs egípcios”, declarou o presidente da Fifa, Joseph Blatter.

A briga da última quarta-feira começou quando torcedores do Al Masry invadiram o campo após uma surpreendente vitória por 3 a 1 sobre o Al Ahly. A torcida do Al Masry, armada com facas, paus e pedras, perseguiu jogadores e torcedores rivais, que correram no sentido das saídas e até das arquibancadas para escapar, segundo testemunhas.

A tragédia causou comoção geral no Egito. Três jogadores do Al Ahly, que foram atacados, anunciaram o fim da carreira no futebol. Mohammed Abu Trika, Emad Moteab e Mohamed Barakat disseram não ter mais clima para continuar jogando.