A Fifa anunciou seu balanço financeiro, nesta sexta-feira (14), e revelou que obteve como receita US$ 882 milhões em 2007, contra US$ 749 milhões em 2006. Se somados os papéis emitido nas bolsas de valores e seus ativos, a riqueza da Fifa chega a US$ 1,15 bilhão.

Durante todo o ano de 2007, a Fifa somou gastos de US$ 833 milhões, o que resultou num lucro de US$ 49 milhões. Parte dos gastos subiu por causa da preparação para a Copa do Mundo de 2010. Até 2010, a entidade espera somar uma renda de US$ 3,2 bilhões.

Um dos principais cartolas da entidade, o paraguaio Nicolas Leoz não compareceu à reunião do Comitê Executivo em Zurique. Ele está sendo investigado por ter recebido propinas na época da falência da ISL, empresa de marketing que comercializava os direitos de imagem das competições promovidas pela Fifa.

Segundo procuradores suíços, mais de US$ 120 milhões foram pagos para cartolas para garantir direitos de TV e contratos de marketing na Fifa. Leoz, presidente da Conmebol, é acusado de ter recebido parte desse dinheiro. Segundo um porta-voz da entidade, contudo, ele não foi a Zurique por causa de uma cirurgia.