O maior interessado na mudança de resultado, o inglês Lewis Hamilton, já avisou: "Não quero ser campeão do mundo assim". O jovem piloto da McLaren afirmou não esperar que o Conselho Mundial da FIA, reunido em Londres, mude a decisão do campeonato conquistado pelo finlandês Kimi Raikkonen, da Ferrari.

O julgamento do apelo da McLaren – o resultado será anunciado nesta sexta – não deverá modificar o ocorrido nas 17 etapas da temporada que terminou no dia 21 de outubro, em Interlagos. Bernie Ecclestone, promotor do Mundial, já comentou que se o título passar para Hamilton "será hora dele pensar na aposentadoria".

A McLaren apelou contra a decisão dos comissários esportivos do GP do Brasil. A gasolina no tanque da Williams de Nico Rosberg e nas BMW de Robert Kubica e Nick Heidfeld tinha temperatura entre 23 e 25 graus, enquanto a temperatura ambiente era de 37 graus. O regulamento só permite até 10 graus de diferença. Se os três fossem desclassificados, Hamilton subiria na classificação da prova e ficaria com o título.