Pela primeira vez na temporada, a Red Bull não é franca favorita à vitória numa etapa do Mundial de F-1. No Canadá, Sebastian Vettel vai ter concorrentes à altura.

O que não quer dizer que ele está fora da briga. Afinal, ganhou cinco das seis corridas disputadas até agora em 2011. Em Montreal, no entanto, pelo menos três equipes se sentem no direito de desafiar o líder do campeonato.

Ferrari, McLaren e Mercedes são os times capazes de derrotar Vettel. Pelas características do circuito canadense, a sofisticada aerodinâmica da Red Bull não faz muita diferença.

A pista tem, basicamente, grandes retas e freadas fortes para chicanes ou curvas de baixa velocidade. Nessa condição, as coisas se igualam um pouco. Assim, ontem, nos treinos livres, Mercedes e Ferrari acabaram se destacando.

Na primeira sessão, a equipe alemã ficou na frente com Nico Rosberg. De tarde, foi Fernando Alonso quem registrou o melhor tempo, que também acabou sendo a volta mais rápida do dia: 1min15s107.

Vettel foi o segundo colocado, 0s369 atrás. Massa terminou em terceiro, com a dupla da McLaren, Hamilton e Button, logo atrás. “McLaren e Ferrari estão fortes aqui e o negócio é tentar fazer o melhor resultado possível, seja ele qual for”, disse um compenetrado Vettel depois dos treinos.

Ele chegou a bater de manhã no muro da entrada da reta dos boxes. De tarde, mais três pilotos foram vítimas de pancadas: Kobayashi, D’Ambrosio e Sutil. “A pista escorrega demais, porque é usada só duas vezes por ano”, explicou Paul Hembery, diretor da Pirelli, que faz os pneus da categoria.

No ano passado, a vitória em Montreal foi de Hamilton, numa corrida agitada que teve nada menos do que 61 pit stops – a média de paradas verificada neste ano, com pneus deliberadamente “gastões” adotados para esta temporada.

Foi a prova que inspirou Bernie Ecclestone a pedir à Pirelli borracha que acaba rápido. Apesar disso, o inglês venceu com uma estratégia conservadora de apenas duas visitas aos boxes.

De acordo com a meteorologia, há 75% de chances de chuva hoje na hora da classificação, 14h de Brasília. O último treino livre deve acontecer com pista seca. A corrida, amanhã, terá 70 voltas e largada também às 14h de Brasília.