O presidente da Ferrari, Luca di Montezemolo, decidiu jogar duro com a FIA e suas propostas de mudanças na Fórmula 1. Montezemolo ameaçou ontem retirar a equipe do campeonato do ano que vem, caso a entidade insista em adotar medidas como o lastro (o carro ganharia um peso extra a cada ponto que conquistasse) e o revezamento entre os pilotos. Para o dirigente, essas propostas são “idiotices”.

Segundo a versão oficial da FIA, as mudanças visam tornar a F-1 mais equilibrada, mas, na verdade, é uma tentativa de por fim à hegemonia da Ferrari, que neste ano somou 221 pontos em 17 etapas do campeonato enquanto que todas as outras equipes, juntas, conseguiram apenas 201.

“Estou muito orgulhoso que a Ferrari seja assim tão forte. Propostas inteligentes que não vão contra a natureza da F-1, nós sempre aceitamos e respeitamos”, justificou.

O ex-piloto Niki Lauda também teve uma reação irritada às propostas. “Esse plano é contra tudo o que a F-1 prega há 50 anos: quem trabalha melhor e consegue melhor resultado técnico, merece ganhar. Não podemos degradar a Fórmula 1”, disse Lauda.