O que era para ser uma semana afastado acabou se tornando mais de dois meses no Reffis e culminou com boatos de que Fernandão poderia deixar o São Paulo. O atacante, porém, finalmente se recuperou das dores no púbis que tanto o incomodaram neste início de temporada, está readquirindo a forma física e garante estar pronto para brigar por posição na equipe.

O tempo longe dos gramados e da mídia permitiu que muitos acreditassem que Fernandão estava encostado à espera apenas de uma proposta para sair do clube. Ele explica pelo que passou: “Já vinha sentido estas dores e foram aumentando. O púbis sempre vai te minando. Quando falei para o Carpegiani que teria de parar, achei que fosse por uma semana só. Mas aí foram quase dois meses. Sempre chegando às 8h e saindo do CT às 18h. Fiquei meio apavorado. Depois de um mês, a dor insistiu e tivemos de mudar o planejamento. Aí melhorou”.

Durante o tempo que ficou afastado, perdeu espaço no elenco. No meio, Lucas se tornou titular incontestável, Marlos fez boas partidas, Ilsinho vem crescendo nos últimos jogos e Rivaldo precisa jogar até por uma questão de marketing. Na frente, Luis Fabiano foi contratado, Dagoberto e Fernandinho se firmaram e jovens como William José e Henrique precisam de chances para ganharem experiência. Com um dos salários mais altos do elenco, Fernandão teve seu nome ligado ao Atlético-MG e ao Palmeiras, mas garante que buscará recuperar seu espaço no Morumbi:

“Tinha uma expectativa muito grande para esta temporada, mas logo comecei a sentir as dores. Mas agora que estou recuperado, eu tenho certeza que poderei render tudo aquilo que o São Paulo pensa em relação ao meu futebol. Vou render bastante em campo”, promete.

Fernandão acha que precisa de mais pelo menos uma semana para voltar ao time. Ele ainda não está 100% fisicamente. “Acredito que (estou) 90%. Tenho treinando bem, me movimentei bem no rachão (no último sábado). Mas ainda tem movimentos que vou ganhar com a parte física, nos próximos sete, dez dias. Não posso, depois de tanto tempo, ultrapassar etapas neste último momento. É hora do ajuste final. Se eu não voltar bem, vou acabar sentindo novamente.”