O goleiro da seleção brasileira campeão mundial em 1970, no México, Félix, morreu nesta sexta-feira, aos 74 anos, vítima de várias paradas cardiorrespiratórias, complicações de um enfisema pulmonar, segundo parentes do ex-jogador.

Félix Miéli Venerando teve sua grande fase vestindo a camisa do Fluminense, onde jogou entre 1968 e 1976, tornando-se um dos maiores ídolos da história do clube. No último sábado, o ex-goleiro deu entrada no hospital Vitória, em São Paulo, devido agravamento dos problemas pulmonares.

O camisa 1 da seleção brasileira em 1970 nasceu em Caratinga, no interior de Minas Gerais, em 1937, mas iniciou sua carreira no futebol paulista, vestindo as camisas de Nacional, Juventus e Portuguesa, antes de se transferir para o tricolor carioca.

Com a camisa do Fluminense, o goleiro conquistou o Campeonato Brasileiro de 1970 e foi campeão carioca por cinco oportunidades.

Pela seleção brasileira principal, Félix jogou 47 vezes, segundo comunicado publicado no site da CBF, tendo estreado em 1965, na vitória por 5 a 3 sobre a Hungria, no Pacaembu. A última partida aconteceu 11 anos depois, em um amistoso contra o Flamengo, no Maracanã, vencido pelo time da Gávea.

Além da Copa do Mundo de 1970, o atleta venceu pelo Brasil a Copa Rio Branco em 1967 e 1968, além da Copa Roca em 1971.

O ex-goleiro encerrou a carreira em 1977. Chegou a ser técnico do Avaí, em 1982, mas não depois não seguiu na profissão.

O presidente da CBF, José Maria Marin deixou mensagem de pesar no comunicado publicado pela entidade. “O torcedor brasileiro deve ser eternamente grato pela contribuição que Félix deu à Seleção Brasileira. É um ídolo do nosso futebol e deixará saudades”.

Neste fim de semana, será observado um minuto de silêncio antes de todas as partidas da 18ª rodada do Campeonato Brasileiro de futebol. A Portuguesa de Desportos também publicou nota de pesar em seu site sobre a morte de Félix.