Luiz Felipe Scolari rebateu as declarações do técnico Niko Kovac, da Croácia, na noite desta quinta-feira e afirmou que não houve dúvidas sobre o pênalti marcado a favor da seleção brasileira no segundo tempo da partida de abertura da Copa do Mundo, no Itaquerão.

Antes de conceder entrevista, Felipão ouviu que Kovac criticara a arbitragem do jogo. O croata dissera que “todo mundo viu que não foi pênalti, todos os bilhões que estavam assistindo ao jogo”. O treinador do Brasil discordou. “Milhares não viram o pênalti? O juiz viu o pênalti. E é ele quem deve decidir. Nós também achamos que foi pênalti.”

Apesar disso, o técnico disse compreender a atitude do rival. “Eu respeito a manifestação do meu colega. Acho que, pelo resultado e tudo o mais, ele se manifestou de forma coerente. Eu também me manifestaria assim”, ponderou.

No entanto, negou qualquer favorecimento à seleção brasileira, por jogar dentro ou fora de casa. “Não vejo favorecimento nenhum nos cinco campeonatos mundiais que vencemos. Isso vai ser dito aí e não adianta a gente ficar discutindo”, declarou. “Temos cinco títulos em mundiais que foram organizados para que fôssemos campeões?”.

Felipão atribuiu as conquistas aos grandes jogadores dos elencos nacionais. “Tivemos Pelé, Tostão, Carlos Alberto Torres, Ronaldo, Rivaldo, Romário, e nunca tivemos Neymar”, disse, referindo-se aos craques já revelados pelo País.

Sobre o desempenho da Croácia, Felipão fez elogios principalmente aos perigosos cruzamentos, pelos dois lados do campo. “A forma como eles fazem esses cruzamentos, nenhuma outra seleção consegue fazer igual. Teve o gol contra e um outro lance no qual o David Luiz quase estufou as redes. Os croatas têm essa qualidade. E mesmo conhecendo essa qualidade deles, é difícil jogar contra eles. Temos que elogiá-los também”, avaliou.

Por tudo isso, o técnico brasileiro acredita que a Croácia ficará com a segunda vaga do Grupo A. “Se eu fosse apostar, eu apostaria nessa equipe”, garantiu Felipão.