O técnico Luiz Felipe Scolari promete não ceder às pressões para convocar determinados nomes para a seleção brasileira. Ele ainda vai chamar três atletas que atuam no Brasil para o amistoso contra a África do Sul, marcado para acontecer no dia 5 de março, em Johannesburgo, e não entra no mérito de quem serão os escolhidos. Questionado nesta quarta-feira sobre as chances de chamar o atacante Alan Kardec, do Palmeiras, Felipão desviou o foco e garantiu que não se abala com pedidos. “Todo mundo faz um pouquinho de lobby quando quer”, explicou.

Sobre a volta do atacante Adriano aos gramados, agora no Atlético-PR, Felipão também não entrou em polêmica, mas deu a entender que não pretende dar uma chance para o atleta na seleção. “Considero todos os jogadores brasileiros, alguns mais, outros menos. Alguns que jogam, outros que não jogam há 2, 3, 4 ou 5 anos. Olho tudo, de acordo com uma série de fatores, não apenas um só”, avisou o técnico, deixando claro que já tem o grupo praticamente fechado, mas só vai divulgar a lista final para a Copa do Mundo no dia 7 de maio.

A confiança do treinador é tanta que em toda entrevista ele coloca o Brasil como grande favorito ao título da Copa, até mesmo porque atuará em casa. “Torcida ganha jogo, é importante, e tenho dito isso. Nós temos um 12º jogador, e atuar em casa faz a diferença. Temos seleção competitiva e de qualidade. Por isso confio que podemos chegar à final e sermos campeões”, concluiu Felipão, nesta quarta-feira em Florianópolis, quando também avisou que existem pelo menos oito times em condições de chegar à decisão do próximo Mundial.