Luiz Felipe Scolari, técnico da seleção portuguesa, pediu nesta quinta-feira desculpas ao "povo de Portugal" pela agressão ao zagueiro sérvio Ivica Dragutinovic, logo após o fim da partida entre os dois países, na quarta-feira, em Lisboa, pelas Eliminatórias da Eurocopa. O pedido de perdão, no entanto, não livrou o brasileiro de ser investigado pela Uefa, que abriu um processo contra ele e pode puni-lo com multa ou suspensão.

"Em determinados momentos, uma pessoa normal, racional, erra. Por isso, gostaria de pedir aos torcedores, a meus atletas e ao povo de Portugal desculpas pela atitude, que foi uma reação àquilo que eu sofri do atleta adversário. Tive um momento em que me perdi", justificou o treinador brasileiro.

O jogo foi 1 a 1, com o gol sérvio marcado nos minutos finais, em claro impedimento. Felipão disse que tentou defender um de seus jogadores, o atacante Quaresma, de uma possível agressão. E também afirmou que Dragutinovic, que atua no Sevilla, o ofendeu falando em espanhol.