Luiz Felipe Scolari comentou nesta sexta-feira a demissão do técnico Joel Santana pelo Cruzeiro, que será o próximo rival do Palmeiras no Campeonato Brasileiro, no domingo, às 16 horas, no Pacaembu, pela 21.ª rodada da competição nacional. O treinador reprovou e lamentou a decisão da diretoria cruzeirense, que na opinião dele não será benéfica para a equipe mineira.

“Eu fico mais triste por causa do Fabrício, meu filho. Eu queria levá-lo (ao Pacaembu) para dar um abraço no Joel. Ele é um grande fã dele e o Joel deu até uma prancheta para ele. O Joel é uma pessoa maravilhosa, um ótimo técnico, é claro que eu fico chateado. Não dar seguimento ao trabalho por uma ou outra derrota é o fim do mundo”, criticou Felipão, em entrevista coletiva.

Em seguida, o técnico previu dificuldades ao time cruzeirense já para o jogo deste domingo e também para a continuidade do Brasileirão. “O Cruzeiro perde muito com a saída dele (Joel). Pode ser qualquer técnico, até o Pelé, mas o time vai perder muito sem ele no próximo jogo”, acrescentou.

O técnico ainda defendeu a sua classe ao ser questionado se a regra que proíbe um jogador de atuar por mais de três clubes, de federações diferentes, em um mesmo ano fosse estendida aos times em relação aos treinadores. “Se jogador não pode jogar por mais de três em uma temporada, com técnico poderia ser igual”, reforçou o comandante, lembrando que esse tipo de medida frearia a onda de demissões consecutivas nos clubes do futebol brasileiro.