Felipão comemorou demais os gols do Palmeiras, nesta quarta-feira, contra o Atlético Paranaense, em Barueri. Uma eliminação na Copa do Brasil, sabia o treinador, poderia ser desastroso para o seu futuro e o do time alviverde e uma nova crise se instalaria no clube. Mas quando Luan balançou as redes, já no segundo tempo, pôde respirar aliviado.

“Eu sentia e tinha o receio de que o Atlético saísse na frente. E, se eles saíssem, ia ser difícil pra chegar ao empate”, declarou Felipão, apontando o panorama da partida e elogiando o rival, que teve bastante domínio do jogo no primeiro tempo. “Com o gol, o time deu uma relaxada e se soltou para os lado do campo”.

Além do alívio do primeiro gol, a vibração na hora em que Henrique balançou as redes não foi muito diferente. “É a comemoração de um gol trabalhado, o Maikon (Leite) colocando na cabeça do Valdivia e o Henrique aparecendo onde trabalhamos durante a semana”.

Depois do jogo desta quarta, o treinador não quis comentar muito a sua decisão de deixar o Palmeiras no final do ano, mas avisou que não será o título da Copa do Brasil que o fará mudar de ideia. “E quando cheguei aqui falei que iria cumprir meu contrato para depois, quem sabe, procurar uma seleção para a Copa do Mundo. Não mudou nada daquilo que eu falei”.