Roger Federer voltou a fazer história com mais um recorde nesta quarta-feira. Ao bater o romeno Adrian Ungur por 3 sets a 1, com parciais de 6/3, 6/2, 6/7 (6/8) e 6/3, pela segunda rodada de Roland Garros, o tenista suíço se tornou o tenista com o maior número de vitórias em torneios de Grand Slam na era profissional do tênis, que começou em 1968. Ele chegou a 234 triunfos ao total e se tornou o recordista absoluto.

Na última segunda-feira, ele havia igualado a marca de 233 triunfos do norte-americano Jimmy Connors ao derrotar o alemão Tobias Kamke, por 3 sets a 0, em sua estreia nesta edição da mais importante competição realizada em quadras de saibro.

Recordista de títulos de Grand Slam, com 16 troféus, o atual tenista número 3 do ranking mundial agora contabiliza 234 vitórias e 35 derrotas, enquanto Connors se aposentou com 233 triunfos e 49 derrotas em torneios da série mais prestigiosa do tênis, que engloba o Aberto da Austrália, Roland Garros, Wimbledon e US Open.

Com a vitória desta quarta, Federer enfrentará na terceira rodada o vencedor do confronto entre o francês Nicolas Mahut e o eslovaco Martin Klizan, também programado para acontecer nesta quarta-feira.

Para se garantir na terceira rodada, o suíço teve uma atuação discreta como a da primeira rodada, se for levado em conta o habitual brilhantismo do tenista, que chegou a ser surpreendido no tie-break no terceiro set. Liderando por 6 a 4, ele desperdiçou dois match points e viu o rival romeno fazer 8 a 6 e levar a partida à quarta parcial.

Ungur, por sua vez, já havia surpreendido ao eliminar o argentino David Nalbandian na estreia, mas desta vez não teve como segurar Federer, que venceu com facilidade os dois primeiros sets e depois o derradeiro do confronto. O suíço poderia ter vencido com ainda mais facilidade se não tivesse cometido 40 erros não-forçados, contra 37 do seu rival, mas compensou os vacilos ao aproveitar quatro das 12 chances que teve de quebrar o saque do rival. Já o romeno não conseguiu coverter nenhum dos seis break points cedidos pelo seu poderoso adversário, que contabilizou 15 aces no duelo.

Em outro jogo já encerrado nesta quarta-feira envolvendo um tenista de destaque, o argentino Juan Martín del Potro, nono cabeça de chave, sofreu para vencer o francês Edouard Roger-Vasselin por 3 sets a 1, de virada, com 6/7 (5/7), 7/6 (7/3), 6/4 e 6/4, em três horas e 39 minutos de jogo.

Com a vitória suada, o argentino enfrentará na terceira fase o croata Marin Cilic, que nesta quarta bateu o espanhol Juan Carlos Ferrero por 3 sets a 0, com 7/6 (7/4), 6/2 e 6/3. Campeão de Roland Garros em 2003, o tenista da Espanha havia vencido o francês Jonathan Dasnieres de Veigy por 3 sets a 0 na sua estreia, mas desta vez não conseguiu segurar o 21.º cabeça de chave da competição.

Também nesta quarta, o francês Nicolas Devilver bateu o alemão Michael Berrer por 3 sets a 0, com 7/6 (7/5), 6/4 e 6/2, e se credenciou para encarar o sérvio Novak Djokovic na terceira rodada. Pouco antes deste triunfo, o líder do ranking mundial bateu o esloveno Blaz Kavcic por 3 a 0 para avançar no Grand Slam.