Às vésperas de estrear na Masters Cup de Xangai, o tenista suíço Roger Federer, ex-número 1 do mundo, avisou que chega à China para vencer, e não apenas participar, e admitiu, neste sábado, que ainda não se acostumou a ser chamado de número 2 do ranking da ATP.

“Vim para ganhar. Não vim apenas para participar”, declarou o tenista, apesar das dúvidas decorrentes de suas dores nas costas. “Está melhor do que na sexta-feira passada. Tenho conseguido treinar sem sentir dores”, explicou.

No entanto, o suíço se mostra inseguro sobre as suas condições físicas para a estréia, diante do francês Gilles Simon, na segunda-feira. “Não estou seguro porque não tenho me esforçado ao máximo”. Na semana passada, Federer abandonou o Masters Series de Paris, em razão das dores nas costas.

O suíço também disse que ainda não se acostumou a ser chamado de número 2. “Soa um pouco estranho. É meu objetivo voltar a ser o número 1”, declarou. Embora o espanhol Rafael Nadal tenha desistido da competição, devido a uma lesão no joelho, Federer não tem chance de voltar ao topo do ranking ainda neste ano, mesmo se vencer a Masters Cup.