Mesmo sem convencer, os favoritos do grupo D largaram com vitória na Copa do Mundo. México e Portugal tiveram dificuldades para derrotar Irã e Angola, ontem, mas dividem a liderança da chave.

Depois de um primeiro tempo truncado, o México se impôs e superou o Irã por 3 a 1, em Nuremberg. Os iranianos até dominaram no início, mas os mexicanos abriram o marcador aos 28?: Omar Bravo empurrou para o gol vazio após desvio de cabeça de Franco. O jogo era igual e oito minutos depois os iranianos empataram, com o zagueiro Golmohammadi.

Na segunda etapa, o Irã recuou muito e o México pressionou até desempatou aos 30?.

O goleiro Mirzapour e Rezaei se atrapalharam, o brasileiro naturalizado Zinha fez belo passe e Bravo só desviou do goleiro. Logo em seguida, Méndez cruzou para Zinha cabecear com estilo, marcar 3 x 1 e calar os críticos de sua convocação.

Já os portugueses deram impressão de que iriam golear, mas ficaram num magro 1 x 0 diante de Angola, em Colônia. No primeiro lance, Pauleta quase abriu o placar. Aos 4 minutos, Figo deu um grande drible em Jamba e rolou para Pauleta marcar seu 47.º gol pela seleção lusa.

Aos poucos, Portugal afrouxou na marcação e deu espaço aos angolanos, que começaram perdidos. Em dois minutos, Mateus, Akwa, de bicicleta, e Figueiredo assustaram o goleiro Ricardo. No final da primeira etapa, o marrento Cristiano Ronaldo acertou o travessão.

O segundo tempo foi marcado pelo individualismo português, pela reclamação de Cristiano Ronaldo ao ser substituído e pela ingenuidade de Angola, que não conseguia criar chances apesar da apatia portuguesa.

Mesmo com a má atuação, o técnico Luiz Felipe Scolari bateu o recorde de vitórias seguidas em Copas do Mundo (oito) e ficou mais perto de renovar seu contrato por mais dois anos – desde que sua equipe alcance as quartas-de-final do Mundial.