O retorno do Atlético à Primeira Divisão tem um aspecto diferente em relação às participações do clube em edições anteriores da Série A do Campeonato Brasileiro: o fator Arena. Desde a inauguração do estádio, em junho de 1999, a Baixada sempre foi uma forte aliada do Furacão nas disputas da elite nacional até 2011. Neste período, o estádio fez do Rubro-Negro um dos clubes que melhor soube aproveitar o mando de campo.

O melhor exemplo foi quando o Atlético conquistou o título brasileiro de 2001. Naquele ano, teve seu melhor aproveitamento dentro de casa. Em 16 jogos disputados na Arena da Baixada, foram 12 vitórias, 3 empates e somente uma derrota, totalizando rendimento de 81%. Três anos depois, quando sagrou-se vice-campeão brasileiro, o Furacão também foi eficiente jogando no Joaquim Américo. Das 23 partidas, foram 16 triunfos, 5 empates e 2 resultados negativos, atingindo aproveitamento de 76%.

Em 2010, um ano antes de ser rebaixado para a Segunda Divisão, o Atlético terminou na 5.º colocação. Quase conseguiu uma vaga na Copa Libertadores e marcou seu terceiro melhor aproveitamento jogando na Arena da Baixada, em uma edição de Série A, com rendimento de 73%. Este percentual foi o mesmo conquistado em 1999, ano da inauguração do Joaquim Américo, quando o Rubro-Negro obteve 10 vitórias, 3 empates e somente duas derrotas.

Entre os piores aproveitamentos do Atlético jogando em casa pela Primeira Divisão estão as participações do clube nas edições de 2000 (53%), 2006 (52%) e 2011 (56%), quando o Furacão não conseguiu evitar o rebaixamento para a Série B do Brasileiro.

Na Primeira Divisão deste ano, o Atlético mandará seus jogos na Vila Capanema e vai encontrar situação semelhante àquela da Série B do ano passado, quando não teve seu próprio estádio para jogar. Na Segundona de 2012, o Furacão jogou no Durival Britto, no Carangueijão, em Paranaguá, e terminou a competição no Ecoestádio, em Curitiba. Mesmo assim, nas 19 partidas disputadas como mandante, foram 11 vitórias, 6 empates e duas derrotas, totalizando aproveitamento de 68%. Resta saber como o Furacão irá se comportar como inquilino na volta à elite nacional.