O Atlético está perto de viver sua primeira disputa eleitoral direta. O ex-presidente Nelson Fanaya confirmou ontem sua candidatura à presidência do conselho deliberativo. Ele encabeçará uma chapa alternativa à atual diretoria.

“Quero ser o Barack Obama do Atlético”, afirma. Mas uma costura com José Henrique de Faria, ex-reitor da Universidade Federal do Paraná – UFPR, e ex-presidente do deliberativo e membro da diretoria entre 1995 e 96 estaria sendo selada na noite de ontem, e poderia inverter o comando da oposição rubro-negra.

“Estamos conversando. A intenção é manter o que está bem feito, mas temos que ter uma mudança profunda no futebol profissional, e de base”, disse ontem por telefone José Henrique, que acredita que já na próxima segunda-feira poderá divulgar os nomes dos demais membros da chapa. “São rubro-negros respeitados, históricos que nos ajudarão a restabelecer o diálogo com a imprensa, e com os demais clubes”, afirmou o ex-reitor da UFPR. José Henrique diz que o Atlético passou os últimos três anos “brigando para não cair”. “Temos que disputar títulos, estar entre os primeiros”, completa.

Já Fanaya garante que já reuniu os 150 sócios necessários para montar uma chapa. Os dois devem voltar a se encontrar hoje para novas conversas. O grupo que dirige o clube atualmente ainda não se manifestou, mas articula nos bastidores uma candidatura de situação. O prazo final para inscrição das chapas é no dia 3 de dezembro, próxima quarta-feira.

Se mais de uma candidatura for confirmada, será a primeira vez, em seus 84 anos de história, que o Furacão terá um bate-chapa na escolha de seus novos dirigentes. As eleições estão marcadas para 8 de dezembro, no Salão Vip da Arena.

Fanaya, 65 anos, foi presidente do Atlético em 1999. Ele prefere não ser rotulado como oposição, mas fala em “mudança” e “novas idéias” na condução do clube. “Vamos buscar um novo enfoque. Não somos inimigos da situação e nem contra o que já foi feito. Somos irmãos que buscam o mesmo objetivo, mas de maneiras diferentes”, afirma.

Segundo Fanaya, seu objetivo é manter as conquistas da atual diretoria, mas com resultados mais expressivos do time de futebol. “Patrimonial e administrativamente, o Atlético cresceu muito. Queremos manter e melhorar o que está bom, mas com resultados muito melhores dentro de campo”, ressalta.

O grupo de Fanaya quer a união de todas as correntes de oposição. E ontem à noite conseguiu mais um apoio. Marcelo Lopes, o Rato, da torcida Ultras do Atlético, que também articulava a montagem de uma chapa, disse à reportagem do Paraná-Online, que “estava aderindo ao grupo José Henrique-Fanaya”.

A idéia é atingir 300 inscritos na chapa, número máximo de sócios que podem integrar o conselho deliberativo. “Quem quiser participar pode entrar em contato comigo, pelo e-mail fanaya@brturbo.com.br”, pede.

Aptos

O Atlético divulgou ontem a lista dos sócios aptos a votar e se candidatar. São 2.425 associados com mais de um ano no clube e com suas mensalidades em dia.

Eles escolherão, no dia 8 de dezembro, os membros do conselho deliberativo. Cada sócio vota de acordo com o número de cadeiras ou poltronas de camarotes que possui. Assim, o total de votos pode chegar a 3.379.

Segundo Gil Justen Santana, assessor jurídico do Atlético, esses números não são definitivos. Se algum sócio cumprir os requisitos estatutários para participar da eleição e não tiver seu nome na lista, deve procurar a secretaria do clube, que avaliará a situação.

Indireto

Os novos conselheiros serão os responsáve,is pela escolha do conselho administrativo, que irá comandar o clube nos próximos três anos. Esta eleição será realizada no dia 10 de dezembro, no CT do Caju.

O grupo de situação ainda  não revelou quem irá indicar. Comenta-se que João Augusto Fleury, atual presidente do conselho administrativo, passaria para a presidência do deliberativo. A administração clube ficaria a cargo de Marcos Malucelli, atual diretor de futebol.

Com Julio Tarnowski Jr.