O ala Falcão jogou 37 minutos em toda a Copa do Mundo de futsal, conquistada pelo Brasil sobre a Espanha em uma vitória por 3 a 2 na prorrogação, hoje (18), em Bancoc, na Tailândia.

Depois de falar que esta poderia ser sua última atuação com a camisa da seleção brasileira, o jogador ponderou. “É de se pensar. Claro que enquanto estiver jogando quero continuar ganhando”, disse Falcão, 35, ao canal Sportv.

Logo na estreia, o jogador sofreu uma contusão na panturrilha e chegou a dizer que dificilmente continuaria no torneio. Voltou na fase final, mas o estresse causado pela lesão provocou uma paralisia facial.

Mesmo assim, o atleta foi decisivo nas quartas de final contra a Argentina ao marcar dois gols no êxito por 3 a 2. Na decisão ante a Espanha, Falcão fez o tento de empate que levou a final para a prorrogação.

“Fiz quatro gols e três foram decisivos. Pela lesão, acabei jogando pouco tempo”, declarou. Com 340 gols marcados pela seleção de futsal, o ala é o maior artilheiro brasileiro em esportes coletivos relacionados ao futebol -contabilizando futebol de campo e praia.