Fornecedora de bolinhas do Brasil Open, a Wilson rebateu nesta sexta-feira as críticas feitas por Rafael Nadal e outros tenistas envolvidos no torneio disputado no Ginásio de Ibirapuera, em São Paulo. A empresa defendeu a qualidade do material utilizado e destacou que patrocina grandes eventos de tênis, como o US Open e o Aberto da Austrália, dois dos quatro Grand Slam do circuito da ATP.

Na noite de quinta-feira, Nadal havia disparado contra a ATP por causa da suposta “baixa qualidade” da bola utilizada no torneio em São Paulo. “A bola é ruim. E o problema é a ATP permitir que sejam utilizadas bolas como essa. A culpa é da ATP, que não tem capacidade e nem estrutura para poder analisar as condições [do material]”, criticou o espanhol, principal estrela do Brasil Open.

Antes de Nadal, outros participantes haviam reclamado da bola do torneio, como o também espanhol Nicolas Almagro, tricampeão do Brasil Open. Ele isentou a criticada quadra do Ginásio do Ibirapuera e culpou a bola pela dificuldade enfrentada por alguns tenistas durante os jogos.

A Wilson, porém, emitiu nota oficial nesta sexta-feira para defender seu produto. “A referida bola é aprovada pela ITF (Federação Internacional de Tênis) para jogos em torneios profissionais e possui qualidade mundialmente reconhecida e suficiente para atender quaisquer torneios, sejam eles organizados pela ITF, ATP ou WTA, em qualquer parte do mundo”, registrou a empresa.

A empresa destacou ainda que suas bolinhas integram o material oficial da Copa Davis e da Fed Cup, além dos dois torneios de Grand Slam disputados em quadras rápidas. Tenistas como o suíço Roger Federer, atual número 2 do mundo, conta com patrocínio da Wilson.

As bolinhas da empresa também foram utilizadas no Torneio de Viña Del Mar, na semana passada, no Chile, no qual Nadal terminou com o vice-campeonato. E serão usadas ainda no Torneio de Buenos Aires, na próxima semana, na Argentina, e em Acapulco, no México, logo na sequência do calendário da ATP.