Se for apenas por currículo e experiência, o Palmeiras vai fazer na Copa Libertadores campanha bem superior à do ano passado. Afinal, no provável time titular da estreia, nesta quarta-feira, na Argentina, contra o Atlético Tucumán, todos os jogadores já disputaram edições anteriores e fazem a equipe ter em campo uma formação com bem mais vivência no torneio em relação ao elenco de 2016.

Do goleiro Fernando Prass às opções mais prováveis entre os atacantes, pelo menos oito titulares estarão no mínimo na terceira participação no torneio. Ter um elenco “cascudo” e mais rodado foi uma das intenções da diretoria ao planejar 2017. Dos nove reforços contratados para esta temporada, três já foram campeões do torneio: Borja, Guerra e Willian.

O Palmeiras iniciou a competição no ano passado de forma bem diferente. O time estreou contra o River Plate, do Uruguai, com seis titulares “calouros” no torneio. O empate fora de casa abriu uma campanha ruim da equipe, eliminada ainda na fase de grupos.

“Temos agora um time experiente. Vários de nós já jogaram a Libertadores. Vale todo artifício que tiver na mão para saber valorizar o tempo e se adequar ao momento do jogo”, afirmou o zagueiro Edu Dracena, campeão do torneio pelo Santos em 2011. O defensor vai disputar pela sexta vez o torneio.

Edu Dracena considera a experiência fator importante para se dar bem na competição, pois admite ter sofrido quando jogou a primeira Libertadores. Em 2004, com o Cruzeiro, o zagueiro notou ser necessário mudar o estilo de atuar. “Senti dificuldade. Na Libertadores, jogam mais no corpo do que na bola para tirar você da jogada. Tem muita malandragem. Lembro na estreia, no México, o quanto sofri para marcar.”

O atual campeão brasileiro tem a competição como prioridade e tomou cuidado para fazer uma boa estreia. Desde a semana passada os treinos são fechados e nesta segunda-feira o time já viajou ao norte da Argentina em voo fretado, para evitar cansaço com uma possível escala em Buenos Aires.

A preocupação com logística levou o Palmeiras a pedir semanas atrás a antecipação do último jogo pelo Campeonato Paulista. O encontro com o Red Bull Brasil foi remarcado para sexta-feira, em Campinas, para facilitar a recuperação física e propiciar mais tempo para viajar até a Argentina.

No jogo contra o Red Bull, o técnico Eduardo Baptista procurou escalar uma formação parecida à da estreia na Libertadores. A principal mudança para o jogo na Argentina deve ser a colocação do colombiano Borja como titular.

Enquanto a equipe brasileira vai estrear na competição, o Atlético Tucumán já fez quatro partidas por etapas anteriores e, como o Campeonato Argentino está suspenso pela greve de jogadores, a equipe não entra em campo há duas semanas.

A estreia promete ser um teste complicado ao rodado time palmeirense. Pela análise da equipe, o adversário argentino, por ser estreante na competição, deve promover uma partida mais brigada do que disputada tecnicamente.

“Nosso time tem jogadores muito experientes, que jogaram na Europa e na seleção brasileira. Temos que mostrar a qualidade do Palmeiras, apesar de ser um jogo mais aguerrido”, afirmou Edu Dracena.